Tag Archives: prótese

Higiene Bucal

A Saúde Bucal dos Idosos

Sorria na terceira idade

Como posso manter uma boa saúde bucal na terceira idade?

Se você cuidar bem dos seus dentes e fizer consultas periódicas com seu dentista, os seus dentes podem durar a vida inteira. Independentemente da idade, você pode ter dentes e gengivas saudáveis se escovar pelo menos três vezes ao dia com creme dental com flúor, se usar fio dental pelo menos uma vez ao dia e se for regularmente ao dentista para exames completos e limpeza.

Que informações sobre a saúde bucal um indivíduo da terceira idade deve ter?

Até mesmo quem escova e usa fio dental regularmente, pode ter alguns problemas específicos. Muitas pessoas na terceira idade usam dentaduras, tomam remédios e têm problemas de saúde geral. Felizmente, seu dentista pode ajudar você a encarar estes desafios com êxito quase que garantido.

As cáries e os problemas com a raiz dos dentes são mais comuns em pessoas da terceira idade. Por isso, é importante escovar com um creme dental que contenha flúor, usar fio dental todos os dias e não deixar de ir ao dentista. A sensibilidade pode se agravar com a idade.

Com o passar do tempo é normal haver retração gengival que expõe áreas do dente que não estão protegidas pelo esmalte dental. Estas áreas podem ser particularmente doloridas quando atingidas por alimentos e bebidas quentes ou frias. Nos casos mais severos, pode ocorrer sensibilidade com relação ao ar frio e a alimentos e líquidos doces ou amargos. Se seus dentes estiverem muito sensíveis, tente usar um creme dental apropriado. Se o problema persistir, consulte o dentista já que esta sensibilidade pode indicar a existência de um problema mais sério, como, por exemplo, cárie ou dente fraturado. As pessoas mais velhas se queixam de boca seca com freqüência. Este problema pode ser causado por medicamentos ou por distúrbios da saúde. Se não tratado, pode prejudicar seus dentes. Seu dentista pode recomendar vários métodos para manter sua boca mais úmida, como tratamentos ou remédios adequados para evitar a boca seca. Enfermidades preexistentes (diabete, problemas cardíacos, câncer) podem afetar a saúde da sua boca. Converse com seu dentista sobre quaisquer problemas de saúde existente para que ele possa ter uma visão completa da situação e para que possa ajudar você de forma mais específica.

As dentaduras (ou porótes totais) tornam mais fácil a vida de muitas pessoas da terceira idade, mas exigem cuidados especiais. Siga rigorosamente as instruções do seu dentista e, caso ocorra qualquer problema, marque uma consulta. Os portadores de dentaduras definitivas devem fazer um exame bucal geral pelo menos uma vez por ano.

A gengivite é um problema que afeta pessoas de todas as idades e que pode se tornar muito sério, especialmente em pessoas de mais de 40 anos. Vários fatores podem agravar a gengivite, inclusive:

  1. Má alimentação.
  2. Higiene bucal inadequada.
  3. Doenças sistêmicas, como a diabete, enfermidades cardíacas e câncer.
  4. Fatores ambientais, tais como o estresse e o fumo.
  5. Certos medicamentos que podem influenciar os problemas gengivais.

Como as doenças gengivais são reversíveis em seus primeiros estágios, é importante diagnosticá-las o mais cedo possível. As consultas periódicas garantem o seu diagnóstico e o seu tratamento precoce. É importante saber que a boa higiene bucalevita o aparecimento de enfermidades gengivais.

As coroas e pontes são usadas para reforçar dentes danificados ou substituir dentes extraídos. Uma coroa é usada para recobrir um dente que sofreu perda de substância. Ela fortalece a estrutura do dente e melhora a sua aparência, sua forma ou seu alinhamento. As pontes ou próteses fixas são usadas para substituir um ou mais dentes faltantes e são fixadas nos dentes naturais ou nos implantes situados ao lado do espaço deixado pelo dente extraído.

Fonte: Site Golgate

Leia também:

Implantes Dentários

Sorriso na melhor idade. Implantes dentários, uma grande alternativa.


O aumento da longevidade do ser humano é uma realidade observada atualmente nas populações mundiais, onde os cidadãos idosos estão vivendo mais e em condições mais saudáveis do que em qualquer tempo do passado da humanidade.
Os idosos constituem um grupo especial com estilo de vida, condições sociais e de saúde e necessidades bastante diferentes do restante da população. Muitos deles apresentam-se com doenças crônico-degenerativas advindas do

Sorriso na Melhor idade

sistema cardiovascular (por exemplo, hipertensão arterial, acidente vascular cerebral), além de diabetes mellitus, osteoporose, neoplasias, artrite, doença de Alzheimer, doença de Parkinson, problemas psiquiátricos, entre outros, que frequentemente afetam a qualidade de vida desses indivíduos e alteram a normalidade de um tratamento, seja ele da saúde geral ou de saúde bucal.
Do ponto de vista odontológico, cáries, doença periodontal, câncer bucal, problemas oclusais, diminuição ou falta de saliva, ausência parcial ou total de dentes são observados nos idosos e relacionam-se diretamente com as condições de saúde geral e com o grande número de medicamentos usados por estes pacientes. Daí a importância da prevenção e manutenção de uma saúde bucal e geral adequadas nesta faixa etária, uma vez que não é possível separar a cavidade bucal do organismo como um todo.
Dentre as alterações ocorridas na cavidade oral do idoso, a perda de elementos dentários é a que implica em maiores consequências para os demais órgãos do corpo humano. Qualquer alteração na boca pode comprometer o funcionamento adequado de um órgão consecutivo a ela que, pela interdependência dos sistemas orgânicos, ajuda a influenciar outros em maior ou menor intensidade, a curto,médio ou longo prazo.
A ausência parcial ou total de dentes leva a uma redução na capacidade mastigatória, pois o paciente evita alimentos consistentes e fibrosos, deixando de ingerir nutrientes essenciais para a boa qualidade da sua dieta e que contribuem para exacerbar os problemas sistêmicos que, por sua idade, já possa estar apresentando.
Para voltar a permitir uma função mastigatória adequada às suas necessidades alimentares mínimas na 3a Idade, diversas opções protéticas são viáveis aos idosos como próteses convencionais fixas, removíveis, totais e sobredentaduras. Porém, sua menor eficiência mastigatória, quando comparadas à dentição natural se tornam evidentes especialmente para suprir as necessidades funcionais nesta faixa etária.
Nos últimos anos, os implantes dentários assumiram grande importância entre a população geriátrica, onde além de melhorarem a estética e a função, as próteses implanto-suportadas podem prevenir a perda de auto-estima e combater o isolamento social, causados pela ausência de dentes ou destes estarem em péssima composição para um correto preparo do bolo alimentar, bem como no aspecto visual e assim não permitindo ao indivíduo desfrutar de um envelhecimento com boa qualidade de vida física, social e psicológica.
Os implantes dentários funcionam como “pinos” intra-ósseos que são capazes de melhor reter as próteses totais (“dentaduras”) em posição, evitando o seu deslocamento, podendo ser usados também como suporte para próteses fixas. O material desses implantes é o titânio puro, que é biocompatível com os tecidos bucais, ou seja, não causam danos a cavidade bucal.
O fato de ser idoso não seria uma contra-indicação para o uso de implantes. Vários estudos mostram que os problemas cirúrgicos ou protéticos e complicações encontradas em pacientes geriátricos são similares àquelas reportadas em alguns pacientes jovens ou mesmo adultos. O tratamento com implantes deveria levar em conta normas médicas de saúde geral, onde todo o esforço deve ser focado na seleção meticulosa do paciente, visando considerar possíveis condições geriátricas responsáveis por previsíveis falhas no uso de implantes.
Para serem indicados ao tratamento com implantes, os pacientes devem ser cooperativos, estarem efetuando uma boa higiene bucal, motivados, não serem fumantes, estarem livres de hábitos parafuncionais (como roer unha, ranger os dentes, apoiar cachimbo na boca, como exemplos), ter boa quantidade e qualidade óssea, estarem cientes de todos os procedimentos que eles experimentarão tanto no nível cirúrgico, quanto no protético, além de gozar de boa saúde geral, confirmada por exames laboratoriais e com o aval de seus médicos para que realize os procedimentos a serem propostos.
Com o advento dos implantes, desde que o paciente idoso atenda aos requisitos necessários da parte cirúrgica – como os relatados acima -, a prótese implanto-suportada, seja ela fixa ou removível, surge como uma nova e excelente alternativa para a reabilitação protética na terceira idade.
Outro ponto importante é visitar regularmente o dentista que os instalou, para que qualquer problema surgido possa ser resolvido ainda em sua fase inicial.
Procure seu dentista que domine esta fascinante área, e com ele converse sobre todos os pontos aqui descritos, pois os implantes devem durar muitos anos, mas precisam ser muito bem planejados e discutidos com os médicos, baseado nas características de saúde daquele paciente idoso. Aí é só sorrir e usufruir a 3a Idade.

Fonte: Informativo SINOG

Estética em Odontologia

Saiba os cuidados para ter um sorriso perfeito.

Sorriso perfeito

Um sorriso saudável depende, principalmente, de cuidados com a higiene bucal. Se escova, pasta e fio dental são itens essenciais, veja aqui que outros produtos podem auxiliar você nessa tarefa.

  • Itens complementares – Limpador de língua. As bactérias que ficam presas na língua são grandes responsáveis pelo mau hálito.
  • Para ajudar a prevenir cáries, aposte em soluções para bochecho com flúor.
  • Escova interdental para quem usa aparelhos ortodônticos ou próteses fixas. Ela possui hastes especiais para limpeza entre os dentes.

Cáries: o que são e como prevenir ?

A cárie é uma deterioração que ocorre nos dentes em consequência do estilo de vida do indivíduo:

  • o que come e como cuida da saúde bucal.
  • A hereditariedade também tem papel importante na predisposição para o problema.

Alimentos ricos em açúcar e amido (farináceos e cereais) são potenciais formadores de cáries. Isso se deve às bactérias que são ativadas na boca no início do processo de digestão desses nutrientes. – Essas bactérias produzem ácidos que corroem o interior do dente. Com o tempo, o esmalte do dente começa a fraturar por baixo da superfície, enquanto a parte externa permanece intacta. Quando uma quantidade suficiente de esmalte sob a superfície tiver sido destruída, a superfície se desmorona, expondo a cavidade de cárie. – Para evitar cáries, os dentistas costumam recomendar a ingestão de doces ou amidos durante as refeições, e não no lanche, para minimizar o número de vezes que os dentes são expostos ao ácido. Também porque é após as principais refeições que as pessoas habitualmente escovam os dentes.

Mastigar é preciso

Os cuidados com a saúde bucal têm de começar na infância. Para o desenvolvimento adequado de maxilares e estruturas faciais, crianças com dentição não devem viver apenas de papinhas. – Os prejuízos causados por uma dieta que não exige mastigação são vários, segundo a odontopediatra caxiense Débora Scariot. Entre os problemas que podem aparecer com o avanço da idade, estão falta de espaço para a dentição permanente e para o posicionamento lingual. Desses problemas decorrem também a respiração oral e disfunções da face, como o bruxismo (ação de ranger os dentes durante o sono).

Construindo um novo sorriso

Até a década de 1980, os dentistas não tinham muito a oferecer para recuperar a beleza do sorriso. Uma considerável parcela da população chegava à meia idade com poucos ou nenhum dente na boca, tendo de recorrer à dentadura. De lá para cá houve muitos avanços. O dentista caxiense Gustavo Broliato, especialista em prótese dentária, lista os principais recursos disponíveis a favor da estética do sorriso. Implantes O implante dental é uma estrutura de metal no formato de um parafuso que substitui a raiz de um dente extraído. O implante é um recurso bastante usado para fixar próteses e auxiliar na mastigação. Técnicas avançadas permitem instalar implantes em regiões com pouco tecido ósseo e com pequeno prazo de cicatrização.

Dentes alinhados

A ortodontia, especialidade que atua no reposicionamento dos dentes, é uma das áreas que mais tem inovado. Até alguns anos, aparelhos para correção da posição dos dentes só eram usados por crianças e adolescentes. Hoje, a técnica é eficiente para pessoas de todas as idades. – Aparelhos ortodônticos em cerâmica (da cor dos dentes) são uma opção para as pessoas que não gostam dos aparelhos metálicos. – Outro tipo de aparelho é o lingual. Instalada na face interna dos dentes, é uma espécie de fio metálico que fica invisível. Há ainda aparelhos com placas transparentes e móveis, inclusive os aparelhos ortodonticos invisiveis (Invisiling).

Dentes brancos

Novas resinas e materiais cerâmicos são usados para restauração de cáries e evitam o uso do antigo material metálico, com aspecto de chumbo. A técnica com cerâmica possibilita restaurações na cor natural dos dentes. – É possível deixar o sorriso branquinho, através de clareamento dentario,  por meio da aplicação de gel de peróxido de hidrogênio, que quebra moléculas que causam o amarelamento, ou com aplicação de laser. Há técnicas exclusivas de consultórios e outras em que o paciente pode aplicar o produto em casa.

Fontes:

  • ABO-Nordeste,
  • Débora Scariot – (especialista em Odontopediatra)
  • Daniela Nodari (especialista em periodontia e implantodontia),
  • Gustavo Broliato e Simone Michielon Baldisserotto (especialistas em prótese dentária)
Implantes Dentários

Implantes dentais, 10 razões de acertos e de erros

RAZÕES PARA UM IMPLANTE DAR CERTO

1. Escolher um dentista capacitado para colocá-lo;
2. Optar por um implante de boa qualidade;
3. Seguir as instruções quanto à medicação;
4. Ter alimentação adequada no pós-operatório;
5. Não forçar a mastigação sobre ele;
6. Aguardar o tempo certo para colocar a prótese;
7. Adequar o tipo certo de prótese para o caso;
8. Retomar a mastigação progressivamente;
9. Não submetê-lo a esforços mastigatórios exa gerados;
10. Atentar para o mais importante: a manutenção.

MOTIVOS PARA UM IMPLANTE DAR ERRADO

1. Indicação inadequada;
2. Contra-indicação presente;
3. Ser de má qualidade;
4. Estar com a superfície contaminada;
5. Procedimento cirúrgico deficiente;
6. Escolha da prótese errada;
7. Contato prematuro;
8. Uso desapropriado da prótese;
9. Desmotivação do paciente;
10. Má higienização

Fonte: Odontex

Implantes Dentários

Veja as diferenças entre próteses e implantes dentais

A dentadura é uma das próteses mais populares Leia os esclarecimentos do odontologista Oswaldo Scopin de

Prótese Total

Andrade, coordenador dos cursos de pós-graduação em Implantodontia e Odontologia Estética do Centro Universitário Senac, em São Paulo.

Próteses São os dentes produzidos com material artificial, entre outros elementos que substituem a coroa do dente, podendo serem vistos fora da gengiva. Portanto um laminado cerâmico, uma dentadura, uma base sobre o implante etc., tudo isso é chamado de prótese.

Implante Dentário

Implante dentário É um pequeno parafuso metálico que substitui a raiz do dente. O objeto costuma ser feito de titânio, material que provoca baixíssima intolerância, uma vez que o organismo o aceita como tecido próprio.

Fonte: Site Abril

Implantes Dentários

Nova técnica faz implante dentário sem cortes

Uma nova tecnologia já disponível no Brasil permite a colocação de um implante dentário sem corte na gengiva. Toda a cirurgia é montada antes no computador, a partir de uma tomografia tridimensional da arcada dentária do paciente e de softwares especialmente desenvolvidos para esse fim. Além de ser menos invasiva, a cirurgia guiada possibilita a fixação do implante e a colocação do novo dente (prótese) no mesmo dia (implante com carga imediata). Mas ela não é indicada para todos os pacientes. Quem tem perda óssea, por exemplo, precisa passar antes por um enxerto de osso. Na cirurgia guiada, o paciente faz uma tomografia computadorizada, e o dentista transfere os dados para o computador. Um software lê os dados e reproduz, em três dimensões, todo o crânio da pessoa fazendo um planejamento virtual do implante. Na tela, o dentista analisa a formação dos ossos da mandíbula e da maxila e escolhe os locais ideais onde serão fixados os implantes. O procedimento tem um custo adicional de R$ 200 a R$ 800 ao valor pago pelo implante –cada dente custa de R$ 900 a R$ 1.500. “O planejamento prévio diminui as chances de erro e evita que o cirurgião corte toda a extensão da gengiva para examinar o osso e escolher os locais para a perfuração e a colocação do implante”, diz o cirurgião-dentista Rodolfo Candia Alba Júnior, diretor da Associação Brasileira da Indústria Médico-Odontológica. O fato de a cirurgia não envolver cortes também deixa o paciente menos exposto a infecções e não há necessidade do uso de antibióticos –indicados nas cirurgias convencionais. Outra vantagem do procedimento, segundo o cirurgião-dentista Luiz Antonio Mazzucchelli Cosmo, é que, sabendo previamente onde estarão os implantes, a prótese pode ser feitas antes e instalada no mesmo dia. Para a dentista Nerli Juliano, a técnica é promissora mas tem indicação só para pacientes sem perda óssea. “Se tem osso, já é possível fazer hoje uma cirurgia minimamente invasiva”.

Fonte: Folha de S.Paulo

Close