Monthly Archives: janeiro 2011

Implantes Dentários

Implante dentário: principais perguntas e respostas

Entenda melhor como é que se faz um implante dentário e como ele ajuda a recuperar o sorriso e a autoestima.

Implantes dentários

O sorriso é nosso melhor cartão de visitas em todos os lugares. Por isso, quando falta um dente na boca, não é só nossa saúde ou beleza que está em jogo, mas também todas as nossas emoções.
P
acientes com poucos dentes (ou sem nenhum) se tornam pessoas tímidas. “Eles têm dificuldade para se relacionar com outras pessoas, viver um amor ou mesmo arrumar emprego, já que a falta de dentes é vista como desleixo por quem contrata”, aponta o cirurgião.
Se você sofre com esse problema, tire todas as dúvidas sobre a cirurgia de impante dentário.
8 respostas sobre implante dentário
1. Qualquer um pode ter implante?
Não. Quem fuma em excesso, tem diabetes e não segue as orientações médicas ou está em tratamento de câncer, hepatite ou osteoporose não pode fazer implante dentário.
2. O que acontece se eu continuar sem a prótese?
Os dentes que estão ao lado do espaço vazio começarão a se inclinar para ocupar o lugar do que falta. Quem não tem dente nenhum percebe que a estrutura do queixo vai se aproximando do nariz. A falta de dentes também faz a pessoa comer alimentos mais cremosos e calóricos.
3. O que causa a perda do dente?
Na maioria dos casos, cáries – principalmente em pessoas com menos de 35 anos. Problemas na gengiva causados pela falta de higienização bucal também levam à perda de dentes.
4. O que fazer antes da cirurgia?
Peça recomendações de um especialista em implantes a amigos ou a seu dentista atual. Você precisará fazer exames (tomografia e panorâmica) e tomar antibiótico e anti-inflamatório.
5. Vou sentir dor na operação?
Não. O dentista faz tudo com anestesia e, mesmo assim, com muita delicadeza. O paciente estará liberado para trabalhar em 24 horas.
6. Se perder um dente, devo colocá-lo depois de quanto tempo?
Procure atendimento o mais rápido possível. Durante a consulta, o dentista pode perceber que o paciente não tem estrutura óssea suficiente para a realização do implante, o que é comum em quem perdeu os dentes há muito tempo. Nesse caso, a solução é um enxerto de osso para preencher o que falta.
7. Quanto custa fazer um implante dentário?
Depende do tipo (se é feito na hora ou após algum tempo da queda do dente), da quantidade de dentes e da origem do material usado (nacional ou importado). Por todas essas razões, o preço pode variar entre R$ 800* e R$ 3.500*, mas hoje em dia pode ser parcelado, basta negociar com o dentista. Outra opção são as universidades: algumas realizam implantes em seus consultórios de odontologia e cobram muito mais barato por isso. Leia também outro post sobre preços de implantes dentários
8. Como me protejo de ir parar numa clínica sem qualidade?
Muitas clínicas que oferecem tratamentos por preços baixos merecem atenção redobrada. Elas acabam fazendo o orçamento do implante como um financiamento, com parcelas carregadas de juros! Fique atenta, principalmente se tiver que assinar algum documento.
Entenda como é feita a cirurgia
– Com base nos exames, o cirurgião dentista extrai os dentes problemáticos preservando o que resta do osso.
– Em seguida, ele parafusa uma peça de titânio, que servirá de pino para a colocação do dente.
– O próximo passo é colocar um extensor do pino, onde será fixada a coroa, a parte superior do dente.
– A integração total do pino à arcada dentária leva, em média, seis meses (para os dentes de cima) e quatro meses (para os de baixo).
– Caso seja necessário fazer o enxerto do osso, o paciente precisará esperar alguns meses até que o corpo se acostume com ele antes de colocar o implante definitivo. Esse período é definido pelo próprio dentista.

Fonte: CROSP Implante dentário

Implantes Dentários

Perda dos dentes causa problemas na convivência social

A dificuldade na pronúncia das palavras prejudica a comunicação oral e isola o indivíduo.

Com o aumento da tecnologia nos tratamentos e o acesso às informações sobre prevenção de doenças, os brasileiros estão conseguindo aumentar a expectativa de vida. “Mas a saúde bucal é um fator crucial no

 

 

processo de envelhecimento e na boa forma de pessoas de mais idade. E ela depende de hábitos que cultivamos ao longo da vida”, afirma o cirurgião dentista da Simplan Implante, Gabriel Lembo.

Perda de dentes pode causar problemas na comunicação verbal

O grande problema é que além do desconforto estético e da mastigação incorreta, a falta de dentes impacta na pronúncia das palavras e, por isso, afeta a comunicação oral. Com dificuldade em se comunicar, a pessoa se isola do convívio social. Para se ter uma ideia, no país, 7 milhões de brasileiros com idade entre 65 e 74 anos precisam de próteses dentária, de acordo com uma pesquisa feita pelo Ministério da Saúde. Porém, a produção anual de próteses, atualmente, não ultrapassa 500 mil.

Hoje, existem dois tipos de próteses: móvel (dentadura) e fixa. Ambas trazem benefícios, porém, as fixas, mais conhecidas como implantes dentários funcionam melhor devido à comodidade. ‘’Com o implante, os pacientes sentem-se mais seguros, pois não existe risco de desprendimento ou perda na frente de familiares e amigos durante conversas ou no momento das refeições. Além disso, a limpeza é muito mais prática e rápida”, comenta Lembo.

O especialista em implantes dentários completa: “Nossa experiência clínica mostra que a perda dos dentes está intimamente ligada à auto-estima do paciente. Ouvimos muitos relatos de mudança de vida após a colocação de implantes dentários. Os pacientes nos contam que puderam voltar a sorrir, a conversar sem medo e alguns até conseguem iniciar relacionamentos, que antes não eram possíveis devido à baixa estima”.

Fonte: Sin implantes

Implantes Dentários

Implantes dentários melhoram a saúde bucal e a autoestima

A correria do dia a dia faz com que muitas pessoas descuidem de vários aspectos de sua vida. A saúde é uma das primeiras a ser negligenciada, ainda mais quando se fala em saúde bucal. Com o passar do tempo, a má higienização pode ocasionar doenças gengivais e até mesmo a perda dos dentes. Por vergonha, muitas

Implantes dentários aumentam a auto-estima

pessoas passam a sorrir menos e deixam de conquistar melhores trabalhos e relacionamentos por estarem com a autoestima abalada. A falha na dentição ainda pode ser a causa de outros problemas, como a mastigação errada, por exemplo.

O implante é a solução para ambos os casos. O tratamento periodontal, ortodôntico, as próteses e o implante são os procedimentos mais utilizados para resgatar o aspecto estético e funcional dos dentes. O empresário Luis Carlos Fernandes fez implante superior com dentes de porcelana e tratamento estético. “Decidi fazer o implante, pois estava em busca de mais qualidade de vida e, desta forma, somei o fator estético ao funcional. Recuperei minha autoestima e hoje, diferente do passado, consulto o dentista a cada dois meses, fazendo a manutenção preventiva”, afirma.

Para o procedimento ser bem sucedido é preciso atender não somente as necessidades funcionais, mas também estéticas do paciente. “Para saber como deve ser o tamanho ideal e formato da nova dentição, o paciente deve ter um encontro com o protético no próprio consultório, para juntos discutirmos com o profissional responsável pela confecção de seus novos dentes. É feito o molde da boca e definimos qual material será usado, a maioria opta pela cerâmica. O paciente pode dizer como gostaria que fossem seus novos dentes”, diz Gurkewicz.

Já existem no mercado diversas formas de pagamento do implante, como parcelamento, financiamentos e até consórcios. “Hoje a falta de recursos financeiros não é desculpa para comprometer toda a saúde”, enfatiza Dr. Eduardo. A realização de implantes é um procedimento seguro e eficaz. Estudos mostram que implantes de boa procedência apresentam taxas de sucesso acima de 90% no maxilar superior e 97% no inferior.

Uma das maiores causas dos pacientes ficarem por um longo tempo sem algum dente é o medo de realizar procedimentos odontológicos. “Para estes atendimentos, junto comigo fica um anestesista, que usa um sedativo, induzindo o paciente ao sono, enquanto eu faço todo o procedimento. O especialista também cuida de dois itens fundamentais, que são a respiração e a pressão do paciente”, explica o dentista.

O medo da broca era um dos problemas do empresário Fernandes. “Ela causa um desconforto enorme, mas o método que o Dr. Eduardo utiliza dá muita tranquilidade e segurança ao paciente, além da possibilidade do profissional trabalhar sem maiores preocupações. É como se eu estivesse em casa, sem dor nem desconforto”, conta.

Fonte: AW Comunicação implantes dentários

Close